Rafael Chagas

Inglês

Minha experiência como professor começou muito cedo. Aos 18 comecei a lecionar Inglês

somente para amigos em cursinho de vestibular em uma sala “emprestada” pela instituição, pois esses amigos sentiam dificuldade com o professor atual em sala de aula. Meu background consistia apenas em um intercâmbio, curso de Inglês ainda incompleto, muito bom humor e um muito(inútil) vocabulário de videogame. Ainda sem jeito, as aulas tinham andamento bem rústico. Folha de ofício para substituir o quadro, lápis, apostila e bastante vontade de passar na maldita prova de vestibular da UFRN eram nossos materiais. Por conta de um mero tapinha nas costas seguido da frase “bom trabalho” tomei uma decisão drástica: quero ser professor!

 

A primeira escolha para atuar em sala de aula foi a licenciatura em Geografia por razão da

admiração dos profissionais da área. Experiência árdua, principalmente por conta dos estágios em escolas rurais de ensino público onde também lecionei Inglês como substituto. Essa experiência, apesar de custosa, me deixou mais preparado pras adversidades de um docente, me proporcionou a chance de praticar meu aparato teórico acadêmico e me fez evoluir profissionalmente ainda muito jovem. Estranhamente, nesse meio tempo, ouvi muito mais elogios quanto ao meu ensino de Inglês do que da própria Geografia. Me sentia envergonhado por isso, mas talvez eu não fosse ruim em Geografia, talvez eu (modéstia à parte) fosse muito bom em inglês. Talvez fosse bom pela paixão pela língua. Talvez eu devesse investir no Inglês. Talvez…bem… depois de tanto talvez, não deu em outra, comecei a atuar como professor de Inglês no ensino particular e foi paixão à primeira aula.

Um traquejo que começou há quase 10 anos somente para ajudar um grupo de amigos com dificuldade, tornou-se minha vocação profissional. Hoje, mantenho uma rotina diária de estudos da língua e me preparo para adentrar à licenciatura em Letras para me tornar o profissional mais completo e preparado possível, sempre regado a bom humor e trazendo o Inglês para as situações cotidianas do aluno e da nossa cidade. Meu objetivo é trazer o Inglês, que é a língua que conecta o planeta, num formato espirituoso, solto e integrado para o dia-dia do brasileiro para que não só se torne cidadão sem fronteira, mas também um profissional íntegro.

Socials